Fisioterapia Dermatofuncional

Prevenção e tratamento das (dis)funções tegumentares

. Acne

. Xerose cutânea

. Dermatites

. Rosácea

. Olheiras

. Cicatrizes

. Queimaduras

. Flacidez

. Envelhecimento cutâneo

. Rugas

. Estrias

. Insuficiência venosa/linfática

. Celulite

. Gordura localizada

 

Reabilitação em contexto reparador e cirúrgico

. Mastectomia

. Cirurgia plástica

 

Procedimentos disponíveis:

  • Drenagem linfática manual
  • Massagem de tecido conjuntivo
  • Reabilitação postural global (RPG)
  • Eletroestimulação
  • Alta frequência
  • Vacuoterapia
  • Kinesiotaping
  • Peeling US
  • Microdermoabrasão (peeling de diamante)
  • Transdermaterapia
  • Limpeza da pele
  • Peelings químicos superficiais
  • Microagulhamento (Microneedling

Escolioses (Avaliação e Tratamento)

escolioses

O nosso Fisioterapeuta Carlos Guerreiro especializou-se no tratamento de patologias e deformidades que afectam a coluna vertebral, incluíndo Escolioses.

Para tal, desenvolveu em 2012 um Programa específico para a correcção de Escolioses, procurando dar o melhor tratamento possível a cada caso.

Consulta

Na 1ª Consulta será feita uma avaliação e investigação do seu caso particular e proposto um programa de tratamento.

A avaliação do paciente consiste no seguinte:

– Anamnese detalhada

– Avaliação Postural nos 4 planos

– Fotografia Postural nos 4 planos

– Testes de Flexibilidade da Coluna Vertebral

– Medição da Escoliose com Escoliómetro

– Medição do Comprimento e de possível dismetrias

– Análise de Exames Complementares de Diagnóstico (RX, TAC, RM,…)

Será ainda realizada a primeira sessão de tratamento.

1ª Fase do Programa

Esta fase do programa é composta por 10 sessões de Fisioterapia Postural com o objectivo de alivio da dor e correcção postural. São utilizados os seguintes métodos e complementos:

– Reeducation Posturale Globale (RPG)

– Chaînes Physiologiques de L. Busquet

– Tracção Manual da Coluna Vertebral

– Orthopaedic Medicine (Cyriax) e Mckenzie;

– Massagem de Relaxamento e Descontracturante

– Electroterapia, Ultasonoterapia e Termoterapia sempre que necessário.

Na última sessão é realizada uma reavaliação para verificar quais os resultados obtidos no tratamento e se é necessário continuar ou alterar o plano de tratamento.

2ª Fase do Programa

Nesta fase do programa será proposto um plano de tratamento com o objectivo de reintegração e reforço muscular ou será realizada uma prescrição de exercícios para realizar em casa ou no ginásio perto do local de residência. São utilizados os seguintes métodos nesta fase:

– Reeducation Posturale Globale (RPG)

– Pilates e Yoga;

– Musculação e Cardio-Fitness;

– Treino Funcional;

– Exercícios de Schroth Method;

Nesta fase, em casos mais severos poderão ainda ser propostas algumas ajudas ortopédicas e/ou terapias complementares, tais como:

– Ortoprotesia (precrição de colete e/ou palmilha correctiva);

– Nutrição e Psicologia.

Reforço Muscular para “tratar” dor!

11825139_979389998779989_186188653582839351_n

É muito frequente, e até por aconselhamento médico, chegar-nos alguém a fazer o seguinte comentário: “Eu sofro da coluna, preciso de fazer um reforço muscular!”

No exame a estes pacientes, que muitas vezes são atletas, encontramos os músculos paravertebrais contracturados, porque não param de fazer o seu trabalho. Quando um músculo não pára de trabalhar, onde existe uma contração muscular constante, ele cria fibrose e vai achatar-se, para ser transformado em estruturas rígidas que respondem melhor a este trabalho constante. Para tratar estes músculos é necessário retirar as causas que provocam essa tensão muscular. Em 2º lugar, é necessário devolver o comprimento a tais cadeias musculares a fim de “desparasitá-las” das forças que estão a ser impressas sobre a coluna. É importante para o músculo conservar a sua capacidade de contração e a sua capacidade de alongamento (o músculo é um elástico vivo). Da alternância dos dois participam a qualidade e o volume do músculo. Em 3º lugar, é necessário devolver o ritmo à musculatura paravertebral para que ela tenha uma boa proprioceptividade na estática e na dinâmica (quando estamos parados e quando estamos a movimentar-nos). Este trabalho não deve ser descurado. As posturas de alongamento e as técnicas de inibição permitem devolver um bom equilíbrio muscular, mas é necessário que a musculatura profunda encontre a sua verdadeira vocação: cada fascículo monoarticular deve encontrar a mesma independência, ou seja o mesmo desembaraço que “os dedos de um pianista sobre o teclado vertebral”.
As mãos de um pianista não são feitas para transportar um piano, assim como os músculos paravertebrais não são feitos para movimentar a coluna mas sim para corrigir constantemente e reequilibrar os deslocamentos vertebrais. É assim muito importante compreender que esta musculatura deve estar devidamente relaxada enquanto os músculos do plano médio e superficial fazem os movimentos. Os músculos paravertebrais estão atentos e tem como objectivo corrigir os movimentos e o equilíbrio. A sua função é qualitativa e não quantitativa. A musculação não é para eles, não tenham jamais a triste ideia de dizer a um pianista para fazer musculação para as mãos.