Fisioterapia Dermatofuncional

Prevenção e tratamento das (dis)funções tegumentares

. Acne

. Xerose cutânea

. Dermatites

. Rosácea

. Olheiras

. Cicatrizes

. Queimaduras

. Flacidez

. Envelhecimento cutâneo

. Rugas

. Estrias

. Insuficiência venosa/linfática

. Celulite

. Gordura localizada

 

Reabilitação em contexto reparador e cirúrgico

. Mastectomia

. Cirurgia plástica

 

Procedimentos disponíveis:

  • Drenagem linfática manual
  • Massagem de tecido conjuntivo
  • Reabilitação postural global (RPG)
  • Eletroestimulação
  • Alta frequência
  • Vacuoterapia
  • Kinesiotaping
  • Peeling US
  • Microdermoabrasão (peeling de diamante)
  • Transdermaterapia
  • Limpeza da pele
  • Peelings químicos superficiais
  • Microagulhamento (Microneedling

A Escoliose

A coluna vertebral como um todo deve estar alinhada na vertical. Normalmente, quando olhar para alguém de lado, verá três ligeiras curvas – uma no pescoço, uma no tórax e uma na região lombar. Se olhar para essa pessoa de costas a coluna não deve apresentar qualquer curvatura. Se a coluna apresentar uma curvatura para o lado, esta será chamada de escoliose.

Essa curvatura poderá orientar-se para a direita ou para a esquerda e variar em gravidade desde muito leve e quase imperceptível a grave.

A escoliose poderá localizar-se na parte inferior da coluna (a curva lombar), na parte média da coluna (a curva torácica) ou ir desde a parte inferior à superior (a curva toracolombar). Em alguns casos para além da curvatura primária existe outra que é normalmente adquirida como forma de compensação, e faz com que o conjunto apresente uma forma de S.

Estas curvaturas poderão ser classificadas em:

Escoliose funcional ou postural: a coluna é estruturalmente normal, mas parece curvada por causa de outra disfunção, como diferença no comprimento das pernas, ou espasmos musculares nos músculos das costas. A curva é geralmente leve e muda ou desaparece quando a pessoa se inclina para os lados ou para a frente.

Escoliose estrutural: Nestes casos, a curvatura é fixa e não desaparece quando a pessoa muda de posição. Existem diferentes tipos:

Idiopática. Isto significa que a causa não é conhecida. Mais de 8 em cada 10 casos de escoliose são idiopáticos.

Neuromusculares. Isto significa que a curvatura é causada por uma condição que afecta os músculos e nervos das costas. Por exemplo, pode ocorrer em alguns casos de distrofia muscular, poliomielite, paralisia cerebral, ou neurofibromatose. Cada uma dessas condições tem outros sintomas e problemas, para além da escoliose.

Lombar degenerativa. Resultado da degeneração assimétrica da coluna vertebral.

Congénita. Isto significa que a coluna não formou correctamente durante o desenvolvimento do bebé no útero.

A escoliose idiopática é sem dúvida a mais frequente e pode ocorrer em qualquer fase da infância. Não se sabe como ou por que ela se desenvolve. Não é devido à má postura e estudos demonstram que o seu aparecimento não poderá ser evitado. É mais comum durante as fases de crescimento mais rápido, na adolescência, entre os 10-12 para as raparigas e os 11-16 para os rapazes. Cerca de 1 em cada 40 crianças têm algum grau de escoliose. A escoliose leve afecta em igual número rapazes e raparigas. No entanto, a escoliose moderada ou grave, é mais comum em raparigas.

Sinais e sintomas/ Diagnóstico

Na maioria dos casos o aparecimento da escoliose é gradual e indolor.

A escoliose pode causar dor leve e desequilíbrio muscular. Se a escoliose se torna mais severa, pode provocar alterações mais visíveis. Isto ocorre quando a coluna vertebral sofre uma curvatura acentuada para o lado, puxando as inserções musculares, ligamentares e das costelas, fazendo com que:

Se a escoliose for na região torácica, as costelas e omoplata formam uma protuberância num dos lados das costas.

Se a escoliose for na região lombar, provoca uma rotação anterior da pélvis e pode parecer que uma perna é maior que outra.

Se a escoliose se tornar grave e não for tratada, pode causar problemas como por exemplo, dor persistente nas costas e pode desencadear problemas respiratórios ou cardíacos se a deformidade na região torácica for muito grave.

Uma boa avaliação, incluindo uma história clínica, exame da coluna vertebral e exame neurológico são necessários para ajudar ao diagnóstico de uma escoliose. A escoliose é geralmente perceptível quando se abaixa, notando-se que um dos lados do tronco fica mais elevado que o outro. No entanto, muitas vezes uma escoliose de grau leve a moderado pode desenvolver-se sem ser percebida pela criança ou pelos pais. Isso prende-se com o facto de se desenvolver durante a adolescência, em que as crianças se tornam mais auto-conscientes e é mais raro os pais observarem a criança sem roupa, de forma a poder identificar o problema.

A confirmação do diagnóstico pode ser feita através de um raio-X à coluna que irá permitir medir o grau de curvatura.

Para informações sobre o nosso programa de tratamento poderá consultar o seguinte link:

https://lisboaphysio.com/2019/12/19/escoliose-avaliacao-e-tratamento/

Escolioses (Avaliação e Tratamento)

escolioses

O nosso Fisioterapeuta Carlos Guerreiro especializou-se no tratamento de patologias e deformidades que afectam a coluna vertebral, incluíndo Escolioses.

Para tal, desenvolveu em 2012 um Programa específico para a correcção de Escolioses, procurando dar o melhor tratamento possível a cada caso.

Consulta

Na 1ª Consulta será feita uma avaliação e investigação do seu caso particular e proposto um programa de tratamento.

A avaliação do paciente consiste no seguinte:

– Anamnese detalhada

– Avaliação Postural nos 4 planos

– Fotografia Postural nos 4 planos

– Testes de Flexibilidade da Coluna Vertebral

– Medição da Escoliose com Escoliómetro

– Medição do Comprimento e de possível dismetrias

– Análise de Exames Complementares de Diagnóstico (RX, TAC, RM,…)

Será ainda realizada a primeira sessão de tratamento.

1ª Fase do Programa

Esta fase do programa é composta por 10 sessões de Fisioterapia Postural com o objectivo de alivio da dor e correcção postural. São utilizados os seguintes métodos e complementos:

– Reeducation Posturale Globale (RPG)

– Chaînes Physiologiques de L. Busquet

– Tracção Manual da Coluna Vertebral

– Orthopaedic Medicine (Cyriax) e Mckenzie;

– Massagem de Relaxamento e Descontracturante

– Electroterapia, Ultasonoterapia e Termoterapia sempre que necessário.

Na última sessão é realizada uma reavaliação para verificar quais os resultados obtidos no tratamento e se é necessário continuar ou alterar o plano de tratamento.

2ª Fase do Programa

Nesta fase do programa será proposto um plano de tratamento com o objectivo de reintegração e reforço muscular ou será realizada uma prescrição de exercícios para realizar em casa ou no ginásio perto do local de residência. São utilizados os seguintes métodos nesta fase:

– Reeducation Posturale Globale (RPG)

– Pilates e Yoga;

– Musculação e Cardio-Fitness;

– Treino Funcional;

– Exercícios de Schroth Method;

Nesta fase, em casos mais severos poderão ainda ser propostas algumas ajudas ortopédicas e/ou terapias complementares, tais como:

– Ortoprotesia (precrição de colete e/ou palmilha correctiva);

– Nutrição e Psicologia.

Golf Medical Classifiers

Portugal tem dois “Golf Medical Classifiers”, Lúcia Lemos e Carlos Guerreiro, Depois das suas presenças no EDGA Medical Seminar nos dias 6 e 7 de Fevereiro de 2015 no Royal Haagsche Golf & Country Club na Holanda e do estágio necessário no EDGA Algarve Open no dia 18 de Novembro de 2015 no Vila Sol Golf & Resort com o Prof. Hans Arendzen. A partir de agora todos os jogadores interessados em jogar torneios internacionais de golfe adaptado poderão recorrer à avaliação de forma a obter o “Medical Pass”.

http://videos.sapo.pt/9M9BRHWrqZ7s3C5wYtzL?fbclid=IwAR2Cm_RgqX0GjFpdLmMEgl8CL2zyAKjgDcUL9B4joDJCyfatkfS795NaGeI

 

Reforço Muscular para “tratar” dor!

11825139_979389998779989_186188653582839351_n

É muito frequente, e até por aconselhamento médico, chegar-nos alguém a fazer o seguinte comentário: “Eu sofro da coluna, preciso de fazer um reforço muscular!”

No exame a estes pacientes, que muitas vezes são atletas, encontramos os músculos paravertebrais contracturados, porque não param de fazer o seu trabalho. Quando um músculo não pára de trabalhar, onde existe uma contração muscular constante, ele cria fibrose e vai achatar-se, para ser transformado em estruturas rígidas que respondem melhor a este trabalho constante. Para tratar estes músculos é necessário retirar as causas que provocam essa tensão muscular. Em 2º lugar, é necessário devolver o comprimento a tais cadeias musculares a fim de “desparasitá-las” das forças que estão a ser impressas sobre a coluna. É importante para o músculo conservar a sua capacidade de contração e a sua capacidade de alongamento (o músculo é um elástico vivo). Da alternância dos dois participam a qualidade e o volume do músculo. Em 3º lugar, é necessário devolver o ritmo à musculatura paravertebral para que ela tenha uma boa proprioceptividade na estática e na dinâmica (quando estamos parados e quando estamos a movimentar-nos). Este trabalho não deve ser descurado. As posturas de alongamento e as técnicas de inibição permitem devolver um bom equilíbrio muscular, mas é necessário que a musculatura profunda encontre a sua verdadeira vocação: cada fascículo monoarticular deve encontrar a mesma independência, ou seja o mesmo desembaraço que “os dedos de um pianista sobre o teclado vertebral”.
As mãos de um pianista não são feitas para transportar um piano, assim como os músculos paravertebrais não são feitos para movimentar a coluna mas sim para corrigir constantemente e reequilibrar os deslocamentos vertebrais. É assim muito importante compreender que esta musculatura deve estar devidamente relaxada enquanto os músculos do plano médio e superficial fazem os movimentos. Os músculos paravertebrais estão atentos e tem como objectivo corrigir os movimentos e o equilíbrio. A sua função é qualitativa e não quantitativa. A musculação não é para eles, não tenham jamais a triste ideia de dizer a um pianista para fazer musculação para as mãos.

Fisioterapia e Terapias Complementares em Lisboa

Fisioterapia

Fisioterapia Geral

Reeducação Postural Global (RPG)

Método das Cadeias Musculares e Fisiológicas

Drenagem Linfática Manual

Cinesioterapia Respiratória (Fisioterapia Respiratória)

Pilates Clínico One – On – One Session

Fisioterapia ao Domicílio

PROGRAMAS

Reabilitação de AVC’s (Acidente Vascular Cerebral)

Preparação para o Nascimento

Escolioses (Programa de tratamento sem cirurgia)

Golfe Terapêutico e Adaptado (da Reabilitação à Competição)

Consultas

Terapia da Fala

Psicologia Clínica

Nutrição

Golf Medical Classifiers

Massagens

Terapêuticas
Desportivas
Relaxamento
À La Carte (Drenagem Linfática Manual, Massagem Terapêutica, Massagem Desportiva, Massagem Descontracturante, Massagem de Relaxamento, Massagem Sueca,…)

Todos os serviços estão disponíveis para serem realizados no nosso gabinete ou no seu domicílio.

Para mais informações, clique em https://lisboaphysio.com/contactos/.

Reflexologia Podal

Mapa_Reflexologia_Podal

A Reflexologia é uma prática milenar  que consiste em aplicar manualmente diferentes pressões e técnicas em pontos e zonas dos pés e das mãos, a fim de estimular o sistema de cura do próprio corpo. Pela acção reflexa, influenciam-se determinados orgãos e sistemas do organismo, obtendo-se assim os resultados terapeuticos pretendidos.

É extremamente bem aceite pelos pacientes pois promove relaxamento geral.

Segundo a medicina chinesa, todo o nosso organismo está interligado através dos canais de circulação da energia vital do organismo, “chi”. Esta energia é responsável pela harmonia do corpo, da mente e das emoções: se está em harmonia, a pessoa tem saúde; se há desequilíbrio e há acumulação, surje o mal estar. Esta terapia parte da convicção de que pequenas partes do corpo podem ser usadas para tratar o conjunto: o terapeuta irá desbloquear o fluxo de energia correspondente, promovendo o bem-estar e a regularização do desequilíbrio energético existente no órgão em questão. É um mediador para activar o potencial de cura do paciente.

Actua em diversas areas da saude, como por exemplo o stress do dia-a-dia, problemas de sono, ansiedade, depressão, dores articulares e musculares, desequilibrios comportamentais e nutricionais, enxaquecas, constipaçoes, , problemas digestivos, entre outros.

Está em franco crescimento, finalmente aceite sem reservas por parte do mundo ocidental, inclusivé em Portugal.

Podemos encontrar na Reflexologia um tratamento simples, confortavel, eficaz e 100% natural de reconquistar gradualmente o bem-estar fisico e mental.