O que o Fisioterapeuta pode fazer por si, na área da Neurologia

O fisioterapeuta actua na área de Neurologia, intervindo nas seguintes patologias/lesões/sintomas:

A) Afecções do Sistema Nervoso Central: Parkinson, Paraplegias e Paraparesias, Tetraplegias, Spina bifida, Esclerose múltipla, Esclerose lateral amiotrófica, Síndrome de Charcot-Marie-Tooth, Hemiplegia (A.V.C., Traumatismos cranianos, etc),…;

B) Afecções neurológicas periféricas: Poliomielite anterior aguda, lesões do plexo braquial, paralia facial, paralisia do nervo crural, do nervo ciático poplíteo externo ou interno, do tronco do ciático, do subescapular, do circunflexo, do grande dentado, do nervo musculocutâneo, do tronco do membro superior (nervo radial, cubital e mediano), neuropatias isquémicas e bacterianas, …;

C) Acometimentos diversos: joelho, pé, ombro, cotovelo, mão e tronco paralítico, pé espástico, distúrbios de sensibilidade, cefaléias, …;

 

O que o Fisioterapeuta pode fazer por si, na área da Fisioterapia Cardio-Respiratória

 O fisioterapeuta actua na área Cardiovascular, intervindo nas seguintes patologias/lesões/sintomas:

A) Afecções cardíacas: pré e pós-operatório de cirurgia cardíaca, …;

B) Afecções vasculares: hipertensão arterial, hipotensão ortostática, varizes, flebites, doença e síndrome de Raynaud, linfoedema, Acidentes Vasculares Cerebrais, insuficiência vertebrobasilar, …;

Também na área Respiratória, o fisioterapeuta tem um papel importante, intervindo nas seguintes patologias/lesões/sintomas:

A) Pré e pós-operatório da Cirurgia tóracica: pneumonectomia, lobectomia, toracoplastia, …;

B) Enfermidades do aparelho respiratório: rinite alérgica, bronquite, bronquiectasia, asma brônquica, mucoviscidose, bronquiolite obstrutiva, …;

C) Enfermidades do pulmão: Enfisema pulmonar, atelectasia, fibrose pulmonar, abcesso do pulmão, pneumonia, broncopneumonia, cancro pulmonar, edema pulmonar, …;

D) Afecções da pleura: pleurisia, pneumotórax, hemotórax;

O que o Fisioterapeuta pode fazer por si, na área da Reumatologia

O fisioterapeuta actua na área de Reumatologia, intervindo nas seguintes patologias/deformações/lesões/sintomas:

A) Patologia Articular: artrites reumáticas (poliartrite reumatóide; mão, punho, cotovelo, ombro, pé, joelho e anca reumatóides), coluna cervical reumatóide, artrite temperomandibular, poliartrite juvenil, espondiloartrite anquilosante; artroses (coxartrose, gonartrose, omartrose, artrose acromioclavicular e esternoclavicular, artrose do cotovelo, punho e da mão, rizartrose, cervicartrose, lombartrose, espondilartrose, …), condromalácia, hérnias discais, …;

B) Patologia justa e extra-articular: periartrite escapuloumeral, tendinites do supra-espinhoso, infra-espinhoso, pequeno redondo e subescapular, tenossinovite da longa porção do bícipete, tendinite do deltóide, Síndrome de conflito sub-acromial, tendinite do angular da omoplata, epicondilites e epitrocleítes, tendinites do cubital anterior, bícipete e trícipete, periartrite da anca, pubalgias, tendinites do joelho, síndrome da faixa iliotibial, tendinites do tendão de aquiles, do tibial posterior, bursites, tenossinovite de De Quervain, Dupuytren, Fibromialgia, …;

C) Patologia óssea: osteoporose, osteomalacia, doença de Paget, osteonecroses assépticas, …;

D) Síndromes dolorosas da coluna e das raízes nervosas: cervicalgias, síndrome de Barré-Liéou, nevralgia de Arnold, cervicobraquialgia, dorsalgias, lombalgias, ciáticas, síndrome do piramidal, canal estreito lombar, sacralgias, …;

E) Síndromes dos canais e algias diversas: síndrome do desfiladeiro toracobraquial, neuropatias dos canais do nervo subescapular, síndrome do canal cárpico e társico, síndrome do redondo pronador, síndrome do canal de Guyon, síndrome da goteira epitrócleo-olecraniana, síndrome do tibial anterior, síndrome compartimental, …;

F) Enfermidades do colágeno: afecção de Kussmal-Maier, lúpus eritematoso, esclerodermia, polimiosites e dermatomiosites, …;

G) Patologia neuromuscular: miopatia ou distrofias musculares progressivas, miotonias, miastenia, miosite ossificante pós-traumática, cãimbras musculares, …;

Golfe com Síndrome de Down

Golfe com Síndrome de Down

 Decorrente de uma mutação genética, o Síndrome de Down (SD) ocorre em média 1 a cada 800 nascimentos, crescendo a incidência com o aumento da idade materna.

Respeitando as limitações, a criança com SD deve receber estímulos para se desenvolver, tal como outra criança da sua idade. Para tal, os portadores desta síndrome deverão ser estimulados desde crianças à prática regular de uma actividade física. O golfe é uma excelente opção, pois os seus benefícios são inúmeros.

É de todo importante que o portador de SD mantenha essa actividade física, pois vários estudos comprovam que pessoas portadoras de SD tendem a tornar-se sedentários, levando-as a desenvolver problemas como obesidade, diabetes, colesterol, hipertensão e doenças cardíacas.

Não há duvidas que o golfe, promotor da socialização, é uma ferramenta de inclusão social para portadores de SD, sendo também adequado para as suas características físicas e principalmente as suas necessidades. Com o Golfe, eles descobrem as suas capacidades corporais e cognitivas, desenvolvendo o equilíbrio, a coordenação motora, a estruturação espaço-temporal, o esquema corporal e a respiração, factores fundamentais para o desenvolvimento do portador de SD. Concluindo, o golfe promove o desenvolvimento global, aquisição de valores, quebra de preconceitos, contribuindo assim para uma melhor qualidade de vida.

Como e quando começar?

Para uma criança com SD formar bases para um desenvolvimento harmónico, o ideal é que ela seja estimulada precocemente num trabalho multidisciplinar. O Golfe deve ser inserido aos poucos através de aulas e jogos com regras simples. Deve-se estruturar um ambiente facilitador e adequado aos alunos, oferecendo experiências que vão resultar na melhoria do seu desenvolvimento.

O treinador deverá sempre que possível ser especializado em Golfe Adaptado e procurar informações mais específicas sobre Síndrome de Down.

Drenagem Linfática Manual

drenagem 2

A drenagem linfática manual, pelo método de Leduc, é um método terapêutico que tem por objectivo aprimorar algumas das funções do sistema linfático, trazendo vários benefícios como a redução de edemas linfáticos, edemas pós-operatórios (eficaz após lipoaspiração), linfedemas, celulite, retenção de liquídos, entre outros problemas.

Massagem no Bébé

Um toque é suficiente para sabermos que não estamos sós no mundo. O sistema táctil é o primeiro a desenvolver-se no feto (7ª/8ª semana), a mielinizar-se e a tornar-se funcional. É através do sistema táctil que o bebé/criança recolhe primariamente informações acerca do seu corpo e das suas relações com o meio ambiente, funcionando como fonte de aprendizagem.

A massagem infantil funcionará como uma construção entre pais e bebé que terá como base amor, confiança, sincronia, calor, relaxamento, vínculo, calor e contacto visual.

A massagem no bebé é uma forma poderosa de comunicação que ajuda a fortalecer os laços emocionais dos pais com o bebé, aproximando-os ainda mais. A massagem do bebé é considerada como tendo efeitos positivos em todos os sistemas do corpo, nomeadamente:

  • Facilita o crescimento e o desenvolvimento dos recém-nascidos, das crianças e dos adolescentes;
  • Reduz o stress e induz o relaxamento;
  • Reduz alguns tipos de dor;
  • Promove alterações do sistema imunitário (diminui os níveis das hormonas do stress/catecolaminas e aumenta os níveis de serotonina);
  • Estimula o sistema circulatório e favorece o ritmo cardíaco e a respiração;
  • Facilita a digestão e a evacuação;
  • Aumenta o estado de alerta;
  • Diminui a depressão e ansiedade;
  • Aumento do peso;
  • Aumento da performance no desenvolvimento motor e da coordenação permitindo uma melhor organização nos movimentos;
  • Aumento da imagem corporal e auto-estima;
  • Promove um sono calmo;
  • Alívio da dor (com aparecimento dos dentes, obstipação);
  • Redução das cólicas;
  • Facilita a relação/vínculo pais-bebé;
  • Manutenção do bem-estar;
  • Permite o conhecimento do corpo e do seu bebé;
  • Aumenta a função endócrina.

Curso de Preparação para o Parto (Nascimento)

Parabéns aos três!

Nove meses de espera podem parecer demasiados longos e repletos de dúvidas, mas com a ajuda das aulas de preparação para o nascimento, os futuros papás poderão aproveitar esse período para viverem uma experiencia física e emocional única, num clima de tranquilidade.

 

Será que já sabem…

 

·         O que pode fazer para aliviar a azia, as pernas doridas e cansadas, as dores de costas, as dormências, entre outras queixas?

 

·         O que é uma contracção?

 

·         Quais os sinais que podem indicar que o parto está para breve e o que fazer perante cada um deles?

 

·         Quais as posições de alivio que pode adoptar para poder “gozar” as contracções?

 

·         E as respirações? Sabe para que servem e como podem ajudar durante o trabalho de parto?

 

·         Como deve fazer “força” para ajudar o seu bebé a nascer?

 

·         E o pai… já sabe como pode ajudar a mãe ao longo de toda a gravidez e durante o trabalho de parto?

 

·         Já pensaram se vão amamentar? E conhecem as vantagens do aleitamento materno?

 

  • Quais os cuidados que deve ter nas actividades do dia-a-dia do recém-nascido (banho, dormir, amamentar, vestir..)?

 

O fisioterapeuta poderá ainda ajudar a mãe a ultrapassar alguns desconfortos físicos, através:

 

·         Do ensino de alguns exercícios de alívio, alongamento ou relaxamento;

·         Do ensino sobre os cuidados a ter com as posições ao longo do dia, quer quando trabalha, quer quando descansa;

·         Da importância da actividade física na manutenção do bem-estar físico ao longo da gravidez;

·         Da identificação dos músculos do pavimentos pélvico e a aprender como contraí-los de modo a prevenir perdas de urina, durante a gravidez e no pós-parto:

Certamente terão várias dúvidas, algumas queixas ou mesmo a vontade de partilhar experiências com os outros, por isso criámos um espaço onde vos queremos ajudar!

Temas abordados nas sessões:

  • Resolução de Queixas
  • Alimentação da Grávida
  • Posturas e Exercícios de Alivio
  • Sinais de Parto
  • Massagem
  • Fases do Trabalho de Parto (TP)
  • Respirações
  • Enxoval Mãe e Bébé
  • Rotinas da Maternidade
  • Anestesia/Analgesia (Epidural)
  • Exercício e posições de alívio durante o TP
  • Como o Pai pode ajudar na gravidez e no TP
  • Amamentação
  • Cuidados Básicos com o Recém-nascido
  • Cuidados com a Mãe no Pós-Parto Imediato
  • Sessão Especial para os Pais ou Acompanhantes

 

As sessões de “preparação para o nascimento” iniciam-se por volta da 28ª e 30ª semana de gestação e podem ser frequentadas por qualquer grávida, desde que não haja contra-indicação médica.

 

O Programa de preparação para o parto da Lisboa Physio  é composto por 10 sessões (sensivelmente até a altura do parto), com a duração de 1 hora. Contamos sempre com a presença do casal, na impossibilidade de estar o pai presente a mãe poderá levar um acompanhante.