1ª Conferência de Golfe Adaptado em Portugal: desafios e barreiras

A 16 de Março, no Auditório do Comité Olímpico de Portugal, em Lisboa, realizou-se a 1ª Conferência sobre Golfe Adaptado. Com a presença do Comité Paralímpico de Portugal, e da Associação de Profissionais de Golfe de Portugal (PGA Portugal), este encontro contou com a presença do actual campeão da Europa de Golfe adaptado, o espanhol Sebas Lorente.
Sebas Lorente é um exemplo de força e determinação que triunfou no Golfe adaptado tornando-se hoje num dos melhores profissionais da sua modalidade. Convidado de honra desta conferência, Sebas Lorente expôs os principais desafios que o golfe adaptado enfrenta, bem como a importância dos apoios institucionais e privados no desenvolvimento desta vertente da modalidade.

O evento contou ainda com os oradores Humberto Santos, Presidente do Comité Paralímpico de Portugal; Pedro Vicente, Presidente da Comissão de Golfe Adaptado da Federação Portuguesa de Golfe; e Carlos Guerreiro, Primeiro Treinador de Golde Adaptado Português (LisboaPhysio), que abordaram as diferentes metas a atingir no Golfe adaptado enquanto desporto de futuro em Portugal.

Na ocasião, e como acto simbólico, foi entregue, pelo Presidente do Comité Paralímpico, Humberto Santos, a primeira licença de praticante federado de Golfe adaptado ao desportista António Machado. Trata-se de um momento histórico na prática deste desporto em Portugal sendo que o principal objectivo não passa apenas por divulgar a importância do Golfe adaptado, como também sensibilizar para o tema que pela primeira vez foi debatido em conferência em solo nacional.

Segundo o Presidente da Comissão de Golfe Adaptado da FPG, Pedro Vicente, – “O Golfe nacional está a dar os primeiros passos no sentido de se organizar na área da deficiência em geral. As primeiras experiências bem sucedidas, no caso do Special Olympics, permitem-nos acreditar vir a alcançar um estádio de desenvolvimento que há muito desejamos. A atribuição da primeira licença de praticante de Golfe adaptado pela Federação Portuguesa de Golfe constitui para nós um marco importantíssimo.”
“Face ao empenho da Federação Portuguesa de Golfe estamos perante mais um passo a caminho da inclusão. Bem-haja a todos os que se têm empenhado na construção de um novo paradigma desportivo, com profundo fundamento humanista”, referiu o Presidente do Comité Paralímpico de Portugal, Humberto Santos.
1ª Conferência sobre Golfe Adaptado
16 de Março de 2012 – 11h00
Auditório do Comité Olímpico de Portugal – Travessa da Memória, 36 – 1300-403 Lisboa
Convidado de honra: Sebas Lorente – Campeão Internacional de Golfe Adaptado 2010

Programa:
11h – Boas-Vindas

Pedro Vicente – Presidente da Comissão de Golfe Adaptado da FPG

11h05

Mário Jorge Silva – PGA de Portugal

11h15

Carlos Guerreiro – Golfe Adaptado em Portugal

11h30

Humberto Santos – Presidente do Comité Paralímpico de Portugal

Cerimónia de entrega da primeira licença de golfe adaptado em Portugal

11h45

Sebas Lorente – Campeão Europeu de Golfe Adaptado

III Edição Lisboa Physio Golf Cup

3ª Edição Lisboa Physio Golf Cup – 2011

Realizou-se no dia 21 de Maio de 2011 a terceira edição do Lisboa Physio Golf Cup, um torneio anual realizado na Aldeia dos Capuchos e organizado pela Lisboa Physio.

O torneio foi em formato de shot-gun com início às 9h00 horas, sendo a modalidade escolhida pela organização stroke-play das marcas brancas de forma a proporcionar uma enorme competição entre os participantes.

Com um dia fantástico para a prática de golfe, com pouco vento e temperaturas a rondarem os 20º, os jogadores mantiveram a boa disposição e a competitividade.

De salientar que o Clube de Golfe da Aldeia dos Capuchos apresentou o campo de forma excelente, que foi apreciado por todos os participantes.

Tendo todos os participantes terminado as duas voltas ao campo (9+9), o vencedor foi Carlos Alberto Guerreiro que cumpriu o par do campo (58 pancadas), apesar de ter estado com 2 pancadas abaixo do par quando só faltavam 4 buracos. Assim, o vencedor deixou o segundo classificado António Figueiredo a 7 pancadas (65 pancadas), ganhando o desempate pelo handicap mais alto para o terceiro classificado Bento Louro (vencedor do torneio em 2010).

Na categoria Net, bastante renhida, com quatro jogadores com 54 pancadas Net, o critério de desempate pelo handicap mais baixo, deu a vitória a Carlos Alberto Guerreiro, seguido de António Figueiredo, Manuel Calçada e Virgílio Borges.

Quanto à categoria de Golfe Adaptado, o vencedor foi André Caldeira, jogador da Selecção Nacional de Golfe para Surdos, com 91 pancadas, ganhando ao segundo classificado Rui Lourenço, jogador bi-amputado dos membros inferiores, que fez o seu primeiro torneio.   

Houve ainda 7 prémios Nearest to the Pin, o que proporcionou ainda mais emoção no decorrer do jogo.

Este torneio teve o apoio da agência de viagens Vencituris, da Pinalta, da Miaki Card, drivingrangeweb, e claro, do Clube de Golfe da Aldeia dos Capuchos.

Carlos Alberto Guerreiro – Vencedor Gross

 

António Figueiredo – 2º Classificado Gross

 

André Caldeira – Vencedor Categoria de Golfe Adaptado

 

Rui Lourenço – 2º Classificado na Categoria de Golfe Adaptado

Mais fotografias em: https://picasaweb.google.com/103366159665338037665/IIILisboaPhysioGolfCup?authkey=Gv1sRgCNSmmKDesNj3SA&feat=directlink

Golfe com Síndrome de Down

Golfe com Síndrome de Down

 Decorrente de uma mutação genética, o Síndrome de Down (SD) ocorre em média 1 a cada 800 nascimentos, crescendo a incidência com o aumento da idade materna.

Respeitando as limitações, a criança com SD deve receber estímulos para se desenvolver, tal como outra criança da sua idade. Para tal, os portadores desta síndrome deverão ser estimulados desde crianças à prática regular de uma actividade física. O golfe é uma excelente opção, pois os seus benefícios são inúmeros.

É de todo importante que o portador de SD mantenha essa actividade física, pois vários estudos comprovam que pessoas portadoras de SD tendem a tornar-se sedentários, levando-as a desenvolver problemas como obesidade, diabetes, colesterol, hipertensão e doenças cardíacas.

Não há duvidas que o golfe, promotor da socialização, é uma ferramenta de inclusão social para portadores de SD, sendo também adequado para as suas características físicas e principalmente as suas necessidades. Com o Golfe, eles descobrem as suas capacidades corporais e cognitivas, desenvolvendo o equilíbrio, a coordenação motora, a estruturação espaço-temporal, o esquema corporal e a respiração, factores fundamentais para o desenvolvimento do portador de SD. Concluindo, o golfe promove o desenvolvimento global, aquisição de valores, quebra de preconceitos, contribuindo assim para uma melhor qualidade de vida.

Como e quando começar?

Para uma criança com SD formar bases para um desenvolvimento harmónico, o ideal é que ela seja estimulada precocemente num trabalho multidisciplinar. O Golfe deve ser inserido aos poucos através de aulas e jogos com regras simples. Deve-se estruturar um ambiente facilitador e adequado aos alunos, oferecendo experiências que vão resultar na melhoria do seu desenvolvimento.

O treinador deverá sempre que possível ser especializado em Golfe Adaptado e procurar informações mais específicas sobre Síndrome de Down.

Reportagem III Encontro de Desporto Adaptado – Mundo Golfe – RTPN

No âmbito das comemorações do Dia Internacional da Pessoa Portadora de Deficiência, a Câmara Municipal de Cascais em conjunto com Federação Portuguesa de Desporto para Pessoas com Deficiência e Santa Casa da Misericórdia de Lisboa – Centro de Medicina e Reabilitação de Alcoitão, entre outras entidades parceiras, organizou o III ENCONTRO DE DESPORTO ADAPTADO de 27 de Novembro a 5 de Dezembro.

O programa deste Encontro incluiu um Seminário sobre Desporto Adaptado que se realizou no dia 2 de Dezembro no Centro de Medicina de Reabilitação de Alcoitão e ainda um Programa Desportivo de 27 de Novembro a 5 de Dezembro em vários locais do Concelho, onde foi possível assistir e experimentar diversas modalidades associadas a esta temática.

A Lisboa Physio também esteve presente com uma apresentação sobre Golfe Adaptado da autoria do nosso Professor de Golfe / Fisioterapeuta Carlos Guerreiro.

Golfe para pessoas incapacitadas

Mais uma vez a LisboaPhysio chega a todos! Desta vez nas aulas de golfe, sendo pioneira em aulas de golfe adaptado.

O nosso Profissional de Golfe, Carlos Guerreiro, esteve presente no Curso de Golfe Adaptado organizado pela Real Federación Española de Golf e lecionado pelo Profissional USPGA Peter Longo, onde aprendeu a ensinar pessoas com diversas incapacidades, quer seja física (amputados, hemiplégicos, paraplégicos, paralisia cerebral, ataxia de Friedreich, Esclerose Múltipla, Doença de Charcot-Marie-Tooth, Poliomielite, Espinha Bifida, etc), intelectual (síndrome de Down e outros), visual (cegos e amblíopes) ou auditiva, sendo actualmente o único profissional com esta qualificação em Portugal.

Mais informações em http://golfelisboa.wordpress.com/aulas-de-golfe/golfe-adaptado/